Crônicas de Lagoa Prateada

Soam os tambores da guerra!

PJS: Lautrek, Skald, Tom'Ald

Lorde Elliot convoca os aventureiros à uma audiência com a presença da guarda pessoal e seus capitães Otto e Skald, e concorda em lhes conceder asilo, mediante a uma condição: que lhe prestem juramento de lealdade. Rashimir se nega, mas também não permanece no forte. Ele parte em uma jornada mística atrás de respostas de como derrotar Julius. Lautrek aceita Lorde Elliot como seu soberano e cria raízes no Forte Dourado.

O explorador Tom'Ald surge pela primeira vez no forte carregando a cabeça do ciclope que aterrorizava a região.

 

Um ano se passa.

 

Nesse ano Lautrek ganha prestígio entre o exército do forte e depois de muito tempo se sente em casa. Tom adota o forte como uma base, retornando para lá regularmente depois de suas andanças. Skald descobre que parte a população está desgostosa com a vida no forte, reclamando dos altos impostos e da escassez de comida.

Em uma de suas viagens Tom avista o exército de Lagoa Prateda marchando em diração ao forte, Ao receber a informação, Lorde Elliot convoca seus homens de confiança à sala de guerra e lá revela que não vai entregar Lautrek ao exército de Lagoa Prateada. Ele deseja a guerra, pois considera o governo da nação vizinha corrupto e  que expandir seus domínios. Derrotar o exército pateado às portas do forte seria sua primeira vitória no plano de dominação. Como apoio de Lautrek e Skald, começam os planos de defesa.

Lautrek, Skald e Tom partem com um grupo de 50 homens. Trincheiras são cavadas para impedir o avanço das catapultas e os três heróis vão até o acampamento inimigo para por em prática ações de sabotagem. Skald usa sua magia para deixar Tom invisível e o ranger invade o acampamento para envenenar a água e queimar as torres de cerco. Enquanto aguardam Tom retornar, Lautrek e Skald são atacados por um pequeno regimento de 10 homens que patrulhavam o perímetro do acampamento. Os heróis derrotam o regimento, mas a batalha chama atenção do exército, o que os obriga a bater em retirada. Eles retornam vitoriosos ao Forte, o que alimenta a moral do seu exército para resistir ao cerco que está por vir.

 

Comments

leo_o_deleao

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.